Skinwalkers


Algumas lendas nativo-americanas contam sobre pessoas com a estranha habilidade de se transformarem em quaisquer animais que quiserem. Essas pessoas são conhecidas como "skinwalkers", algo como "andadores de pele" em tradução livre. Para se transformarem, por vezes a lenda conta que essas pessoas deveriam se vestir com a pele do animal que desejam se transformar, embora essa não seja uma regra.

Histórias semelhantes podem ser encontradas em culturas diferentes espalhadas por todo o mundo, muitas vezes sendo referidos como "metamorfos" por antropólogos. Possivelmente, a crença em skinwalkers foi melhor documentada pela cultura da tribo Navajo (tribo indígena norte-americana), cujo ser era conhecido pela alcunha de "yee naaldlooshii" (ele anda de quatro, literalmente), uma espécie de bruxa/bruxo, capaz de transformar-se em qualquer animal.

Embora seja mais frequentemente visto como um coiote, lobo, coruja, raposa, ou corvo, o naaldlooshii yee supostamente teria o poder de assumir a forma de qualquer animal que escolher, claro, dependendo de suas habilidades.

Alguns Navajos acreditam que skinwalkers tem a habilidade de "roubar a pele" de pessoas também, se alguém encarasse-os nos olhos. Quando uma pessoa normal encara um skinwalker nos olhos, a pessoa literalmente congela de medo. Diz-se também que os olhos de um skinwalker em forma humana brilham no escuro, enquanto que em forma animal, não brilha, oposto do que se espera em um animal.

Skinwalker são geralmente descritos como pessoas nuas, com exceção da pele de um animal. Descreve-se as metamorfoses como uma versão mutante do animal em questão. Também é dito que esses seres são rápidos e ágeis, impossíveis de serem capturados. Algumas tentativas de rastreamento destes seres já foram feitas, e embora seja muito difícil, as trilhas sempre levam para a casa de alguém, o que dá ainda mais força à crença.

Diz a lenda que Skinwalkers pode ter o poder de ler pensamentos humanos. Eles também possuem a capacidade de fazer qualquer ruído humano ou animal que escolherem. Um skinwalker pode usar a voz de um parente ou o choro de uma criança para atrair vítimas para fora da segurança de suas casas. É dito também que o skinwalker vai tentar invadir a casa e atacam as pessoas lá dentro, e, muitas vezes, batem nas paredes e nas janelas das casas, e sobem nos telhados durante a noite. Às vezes, uma figura animalesca estranha é visto do lado de fora da janela, olhando para dentro das casas. Outras vezes, um skinwalker pode atacar um veículo e causar um acidente de carro.

As lendas sobre os skinwalkers são muito semelhantes com as histórias de lobisomens. Como na segunda, se um skinwalker for atingido ou ferido, ao se transformar em humano, o machucado permanecerá, o que ajuda no reconhecimento. Ao descobrir a identidade da fera, o chefe da tribo deve pronunciar no nome completo da pessoa três vezes. Conta-se que depois disso, mais precisamente três dias depois, a pessoa ficará doente e morrerá pelo mal que cometeu.

Uma outra maneira de acabar com a tirania de um skinwalker é mergulhas as baladas da arma em cinza branca - essa opção também é muito semelhante à história dos lobisomens, onde é preciso que a bala seja feita de prata. Muitas vezes, uma pessoa que tentar atirar em um skinwalker, a arma inexplicavelmente irá falhar.

Se descoberto, o skinwalker irá fugir, e se perseguido, suas pegadas não estarão presentes no solo. Além disso, mesmo se ele receber um tiro à queima-roupa, ele apenas sofrerá danos mínimos. A única maneira de matar um skinwalker, caso as balas não estejam mergulhadas em cinza branca, é atirar enquanto ele estiver em sua forma humana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário